Fechar ×
Fechar ×
Fechar ×

Poemas De Amor De Vinicius De Morais

Ausência Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto. No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz. Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado. Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada Que ficou sobre a minha carne como nódoa do passado. Eu deixarei... tu irás e encostarás a tua face em outra face. Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada. Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite. Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa. Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço. E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado. Eu ficarei só como os veleiros nos pontos silenciosos. Mas eu te possuirei como ninguém porque poderei partir. E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas. Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada.

Vinícius de Moraes

Cala, meu amor Entra, meu amor Bom você voltar De onde vem você Cansado assim? Vejo tanta dor No teu triste olhar Este olhar que, outrora Se acendia só pra mim Cala, meu amor Fala, meu amor É melhor você nada contar Venha aos braços meus Que os abraços meus Vão finalmente te fazer calar in Poesia completa e prosa: "Cancioneiro"

Vinícius de Moraes

Canção de ninar meu bem Hoje a lua despiu seu véu E flutua a dormir no céu Na canção que de mim nasceu Meu amado adormeceu Meu amado adormeceu Dorme, meu amor Como no céu a lua Tu serás sempre meu E eu só tua Dorme, amigo, que a poesia É um mistério que não tem fim Dorme em calma Que assim, um dia Dormirás para sempre em mim Dormirás para sempre em mim

Vinícius de Moraes

Canção Do Amor Demais Quero chorar porque te amei demais Quero morrer porque me deste a vida Oh meu amor, será que nunca hei de ter paz Será que tudo que há em mim Só quer sentir saudade E já nem sei o que vai ser de mim Tudo me diz que amar será meu fim Que desespero traz o amor Eu nem sabia o que era o amor Agora sei porque não sou feliz

Vinícius de Moraes

Canção do amor que chegou Eu não sei, não sei dizer Mas de repente essa alegria em mim Alegria de viver Que alegria de viver E de ver tanta luz, tanto azul! Quem jamais poderia supor Que de um mundo que era tão triste e sem cor Brotaria essa flor inocente Chegaria esse amor de repente E o que era somente um vazio sem fim Se encheria de cores assim Coração, põe-te a cantar Canta o poema da primavera em flor É o amor, o amor chegou Chegou enfim in Poesia completa e prosa: "Cancioneiro"

Vinícius de Moraes

Certas palavras podem dizer muitas coisas; Certos olhares podem valer mais do que mil palavras; Certos momentos nos fazem esquecer que existe um mundo lá fora; Certos gestos,parecem sinais guiando-nos pelo caminho; Certos toques parecem estremecer todo nosso coração; Certos detalhes nos dão certeza de que existem pessoas especiais, Assim como você que deixarão belas lembranças para todo o sempre:

Vinícius de Moraes

Chega de Saudade Vai, minha tristeza, e diz a ela Que sem ela não pode ser Diz-lhe, numa prece, que ela regresse Porque eu não posso mais sofrer Chega de saudade, a realidade é que sem ela Não há paz, não há beleza É só tristeza e a melancolia Que não sai de mim, não sai de mim, não sai Mas, se ela voltar, se ela voltar Que coisa linda, que coisa louca Pois há menos peixinhos a nadar no mar Do que os beijinhos que eu darei na sua boca Dentro dos meus braços Os abraços hão de ser milhões de abraços Apertado assim, colado assim, calado assim Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim Que é pra acabar com esse negócio de viver longe de mim Não quero mais esse negócio de você viver assim Vamos deixar desse negócio de você viver sem mim

Vinícius de Moraes

Chore, grite, ame. Diga que valeu, que doeu, que daqui pra frente só vai melhorar. Perdoe, insista, ame novamente. Não leve a vida tão a sério. Descomplique. Quebre regras, perdoe rápido beije lentamente. Ame de verdade, ria descontroladamente e nunca lamente nada que tenha feito você sorrir..."

Vinícius de Moraes

Como dizia o poeta Quem já passou por essa vida e não viveu Pode ser mais, mas sabe menos do que eu Porque a vida só se dá pra quem se deu Pra quem amou, pra quem chorou, pra quem sofreu Ah, quem nunca curtiu uma paixão nunca vai ter nada, não Não há mal pior do que a descrença Mesmo o amor que não compensa é melhor que a solidão Abre os teus braços, meu irmão, deixa cair Pra que somar se a gente pode dividir Eu francamente já não quero nem saber De quem não vai porque tem medo de sofrer Ai de quem não rasga o coração, esse não vai ter perdão Quem nunca curtiu uma paixão, nunca vai ter nada, não

Vinícius de Moraes e Toquinho

De tudo ao meu amor serei atento Antes, e com tal zelo e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento Quero vivê-lo em cada vão momento E em seu louvor ei de espalhar meu canto e rir meu riso e derramar meu pranto ao seu pesar ou seu contentamento E assim quando mais tarde me procure quem sabe a morte angustia de quem vive quem sabe solidão fim de quem ama Eu possa lhe dizer do amor (que tive) Que não seja imortal posto que é chama Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinícius de Moraes

De tudo ao meu amor serei atento Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento. Quero vivê-lo em cada vão momento E em seu louvor hei de espalhar meu canto E rir meu riso e derramar meu pranto Ao seu pesar ou seu contentamento E assim, quando mais tarde me procure Quem sabe a morte, angústia de quem vive Quem sabe a solidão, fim de quem ama Eu possa me dizer do amor: Que não seja imortal, posto que é chama Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinícius de Morais

De tudo, ao meu amor serei atento Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento.

Vinícius de Moraes

De tudo, ao meu amor serei atento Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento. Quero vivê-lo em cada vão momento E em seu louvor hei de espalhar meu canto E rir meu riso e derramar meu pranto Ao seu pesar ou seu contentamento. E assim, quando mais tarde me procure Quem sabe a morte, angústia de quem vive Quem sabe a solidão, fim de quem ama Eu possa dizer do meu amor (que tive): Que não seja imortal, posto que é chama Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinícius de Moraes

De tudo, ao meu amor serei atento Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento. Quero vivê-lo em cada vão momento E em louvor hei de espalhar meu canto E rir meu riso e derramar meu pranto Ao seu pesar ou seu contentamento. E assim, quando mais tarde me procure Quem sabe a morte, angústia de quem vive Quem sabe a solidão, fim de quem ama Eu possa me dizer do amor (que tive): Que não seja imortal, posto que é chama Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinícius de Moraes

De tudo, ao meu amor serei atento Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento. Quero vivê-lo em cada vão momento E em seu louvor hei de espalhar meu canto E rir meu riso e derramar meu pranto Ao seu pesar ou seu contentamento. E assim quando mais tarde me procure Quem sabe a morte, angústia de quem vive Quem sabe a solidão, fim de quem ama Eu possa me dizer do amor (que tive): Que não seja imortal, posto que é chama Mas que seja infinito enquanto dure

Vinícius de Moraes

De tudo,ao meu amor serei atento antes,e com tal zelo,se sempre,e tanto quem mesmo em fase do maior encanto dele se encante mais meu pensamento.

Vinícius de Moraes

Deixa acontecer Ah, não tente explicar Nem se desculpar Nem tente esconder Se vem do coração Não tem jeito, não Deixa acontecer O amor é essa força incontida Desarruma a cama e a vida Nos fere, maltrata e seduz É feito uma estrela cadente Que risca o caminho da gente Nos enche de força e de luz Vai debochar da dor Sem nenhum pudor Nem medo qualquer Ah, sendo por amor Seja como for E o que Deus quiser

Vinícius de Moraes

Deixa secar no meu rosto Esse pranto de amor que a presença desatou Deixa passar o desgosto Esse gosto da ausência que me restou Eu tinha feito da saudade A minha amiga mais constante E ela a cada instante Me pedia pra esperar E foi tudo o que eu fiz, te esperei tanto Tão sozinho no meu canto Tendo apenas o meu canto pra cantar Por isso deixa que o meu pensamento Ainda lembre um momento a saudade que eu vivi A tua imagem fiel Que hoje volta ao meu lado E que eu sinto que perdi.

Vinícius de Moraes

Deve existir Eu sei que deve existir Algum lugar onde o amor Possa viver a sua vida em paz E esquecido de que existe o amor Ser feliz, ser feliz, bem feliz

Vinícius de Moraes (Em Algum Lugar)

Deve ser amor Sim, sinceramente, amor Eu não sei o que se passa em mim É assim como uma dor Mas que dói sem ser ruim Sim, é ter no coração Sempre uma canção É tão embriagador Deve ser, sim Deve ser amor Samba, samba diferente Isto é estar contente Gosto de chorar, de chorar, de chorar Samba, ritmo envolvente Como o amor da gente Samba em chá-chá-chá Chá-chá-chá Chá-chá-chá

Vinícius de Morais